segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Breve (Augusto Simões)


 Quando já não esperava mais, cravou-me um beijo e não quis mais nada. Nem parecia tão distante. Atravessou o mundo e não se importou com o desconhecido. Deu-se, quis e quis mais. Nada parecia menos, tudo tornou-se mais. Queríamos mais, fomos muito mais, sentimos demais. Tudo era pouco perto de nós. Nenhuma alegria nos alcançava, nenhum sorriso era mais aberto. Beijamo-nos aos pulos, aos abraços, sentados, encostados, esbarrando em todos enquanto girávamos juntos. Virávamos um só e só nos soltávamos quando pensávamos se seriamos além. O que seria além, uma vez que nos encontrávamos muito além do que achávamos ser além. Distantes de todos, em meio à multidão, éramos outros e todos sem qualquer distinção. Apenas tudo o que precisávamos. Nem sequer sonhávamos por que lá já era o sonho que nunca sonhamos ter. Tudo erámos nós, nós éramos tudo e nada havia entre nós. Só fomos e mesmo que pudéssemos ainda ser, seriamos um pouco menos, por que nada será como fomos. 

terça-feira, 25 de junho de 2013

Pequenina (Domínio Público)

Sim, me dá só uma chance,
Somente uma pequenina
E te dou um romance
Que nem imaginas

Sim, pequenina
Somente uma chance
Se puder, imaginas,
O tamanho romance

E se, de fato, imaginas
Esse tanto romance
Acompanha, pequenina
E nos dá essa chance

E se nesse romance
Que agora imaginas
Seja nossa chance
De sermos sempre, pequenina

Canção Sem Pressa (Augusto Simões)


Deixa o nosso tempo chegar
Deixa nosso sorriso brotar

Que a gente vai se ver
E não vai resistir
Que só de imaginar
A gente vai sonhar
E então quando pensar de novo
Um outro beijo
Dei

Deixa a nossa vida se dar
Deixa a gente se apaixonar

Que a gente vai querer
Então vamos sorrir
Vamos até chorar
Então nos consolar
Daí quando sorrir de novo
Um outro beijo
Vem

Deixa o coração te levar
Deixa a emoção dominar

Que outro dia vem
E vamos nos unir
E se nos separar
Saudade vai sobrar
E quando nos juntar de novo
Um outro beijo
Tem


Cifra:

G / C7 / C7/9
F7M / E7 / A7 / D7
F7M / F#7 / G

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Queria (Augusto Simões)

Queria teu rosto passando pelo meu rosto e suas mãos deslizando por minha nuca quase chegando nos meus cabelos. Queria teu antebraço forçando meu pescoço ao teu encontro como se quisesse fazer parte de mim, literalmente. Queria tua boca aberta na minha passando em meus lábios e sentindo meu gosto com vontade de nunca deixar. Queria teus olhos amando meus olhos atônitos ao ver teu rosto tão gentil se aproximando do meu.

Queria teu corpo junto ao meu como um membro inseparável e confortável. Queria teu sorriso ao me ver, queria teu cheiro sendo o meu e vice-versa, queria as costas das tuas mãos nas minhas costas, queria a palma da tua mão na minha coxa. Queria respirar o ar que respiras, queria sentir o vento soprar em teu rosto, queria a alegria de estar contigo.

Queria saber onde estás, queria saber se já estiveste, queria te encontrar ou te encontrar de novo. Queria que soubestes o quando queria. Queria que quisestes, queria que pudestes, queria que viestes ou voltastes, se já fostes.


Queria sentir ou voltar a sentir. Queria sorrir ou voltar a sorrir. Queria ser ou voltar a ser pra ti, por ti e sempre contigo.


sábado, 22 de setembro de 2012